Maria Auxiliadora Lima, missionária no mundo da nossa comunidade de Belo Horizonte, nos enviou notícias da sua experiência na comunidade de Maputo em Moçambique, onde está vivendo um ano de doação ao serviço missionário.

O ENCONTRO COM AS MINHAS RAÍZES

《Sinto que a missão aqui em Moçambique está sendo um grande presente que Deus preparou para mim. Ao chegar aqui, logo me identifiquei com as minhas raízes, de um povo acolhedor e feliz mesmo trazendo consigo escondido atrás do olhar uma história de grande sofrimento que passaram pela guerra. Hoje o país ainda sofre pela guerra civil, mas as pessoas com os quais me encontro nunca perdem suas esperanças buscando forças numa única frase, dizendo: "tudo um dia, irmã, há de melhorar!" Esta esperança me dá forças para me jogar nesta experiência, sem reservas de amor》.

O SERVIÇO NA ESCOLA DE ALFABETIZAÇÃO

《Neste tempo estou trabalhando com a alfabetização de crianças e adultos. Na medida em que cada um vai se desenvolvendo na leitura e escritura, vejo a alegria e a satisfação de ter aprendido. Hoje uma "mamana" aluna se aproximou de mim e disse: "senhora professora, eu nem sei como te agradecer pois quando cheguei aqui eu não sabia nada e com a ajuda da senhora agora já sei ler e escrever, estou muito agradecida por isso". Eu disse a ela: "então agradeça a Deus porque foi Ele quem me permitiu de estar aqui com você".

Sinto no coração uma grande alegria de poder estar contribuindo com o projeto de Deus"》.

Maria Auxiliadora Lima

 

 

Notícias
Belo Horizonte

No 6º Encontro com a Misericórdia receberemos uma convidada bastante especial e conhecida por suas inúmeras palestras, Dra. Filó, que abordou o Tema “Não faleis mal uns dos outros”
No dia 08 de agosto, no 6º Encontro da Misericórdia, tivemos a alegria de escutar as palavras da Dra. Filomena Camilo do Vale, conhecida como Dra. Filó. Ela é médica pediatra cuja formação espiritual tem forte vínculo com a família e que é bastante conhecida pelas inúmeras palestras que realiza. O tema por ela abordado foi “Não faleis mal uns dos outros” que é um dos temas da caminhada dos Encontros da Misericórdia, que a Paróquia de São Sebastião está promovendo seguindo os passos da Bula do Papa Francisco para o Ano da Misericórdia. Os salões da Igreja de São Sebastião ficaram repletos de pessoas que ali estavam para escutar a sua palestra. 

Não podemos ser bons cristãos de maus costumes
Ela iniciou sua palestra lendo um trecho do Evangelho de Mateus onde Jesus diz: “Não julgueis e não sereis julgados” e também da primeira carta de João onde diz que quem fala mal do irmão é um homicida. A partir destas citações ela nos lembrou que somos irmãos e que não temos o direito de julgar o outro, de falar mal do outro. “É meu irmão. Onde está o direito de pensar que sou melhor que o outro. Quem disse que você é o juiz do outro. Só Deus julga”, disse. “A língua nos foi dada com o somente para louvar o Senhor. E o coração somente para amá-lo. Temos que refletir se nossa língua tem promovido ou matado alguém”, continuou a Dra. Filó.
Ela, a um certo momento, citou as palavras do próprio Papa Francisco que disse que “não podemos ser bons cristãos de maus costumes”. Então, continuou “temos que ser responsáveis uns pelos outros, rezar e fazer penitência pelo outro. Temos que pensar que todas as pessoas que nos são dadas são presentes de Deus, somos filhos do mesmo pai. Deus ama a todos da mesma forma”. 
Cuidado com os nossos padres
Em um dos momentos mais aplaudidos da palestra, Dra Filó comentou sobre o cuidado que temos que ter com os nossos padres. Citando a Santa Catarina de Siena, doutora da Igreja disse “Temos que cuidar de nossos padres. Jesus mesmo disse a Santa Catarina: Não fale mal de meus sacerdotes, não os julgue porque eles são meus. A comunidade precisa cuidar e rezar pelos seus sacerdotes. O sacerdote te dá o Jesus vivo e isto não tem preço”. 
No final ela nos convidou a nos purificar e olhar a bondade do outro. “O outro é um tesouro e enigma de Deus”, disse. “Em nossa comunidade não pode haver separação. Temos que ser um só corpo e uma só alma. Que o Espírito Santo conduza em nossa caminhada. O Amor é a marca do cristão”. 

Notícias
Belo Horizonte

A experiência das Férias Missionárias de 2016 foi vivida pelos jovens do Grupo Missionário no Centro Missionário da CMV de Belo Horizonte do dia 21 ao 24 de julho. A seguir a experiência escrita pelo jovem Daniel Magalhães:

As Férias Missionárias tiveram como tema o slogan “Santos de calça jeans”, que dá a ideia de que os jovens que participaram estavam fazendo tudo em amor ao próximo, sempre pensando no outro e doando seu esforço e tempo aos irmãos que mais precisam.

*Quinta-feira: No primeiro dia de Férias Missionárias foi trabalhado principalmente o tema das nossas férias: O pobre. Quem são os pobres e o que eles representam para nós. Foi chegado à conclusão que existem vários tipos de pobreza e que em todas falta ao indivíduo alguma coisa essencial que não o permita viver bem. Fomos ao encontro desse pobre nos dias de Missão, em especial à casa do Seu Crispim, um humilde morador da Vila Paraíso (dentro do território Paróquia São Sebastião). Sua casa era muito simples e também muito descuidada, o que deu bastante trabalho aos jovens do Gim. Porém, essa experiência de ir ao encontro do outro, levando o amor de Deus foi de grande importância na fixação do tema e foi também um grande passo na caminhada de cada um. Ao final do dia, o missionário Adriano, que estava em missão no Peru, contou-nos um pouco dessa experiência e de como foi estar junto do pobre fora do seu país.

*Sexta-feira: Na sexta fomos convidados a viver um dia de comunhão com os irmãos moçambicanos, onde todas nossas ações e nossos sacrifícios eram feitos por eles. Nesse dia não houve café da manhã, pois em Moçambique há uma espécie de pequeno almoço, realizado por volta das 9 horas da manhã. Logo depois do pequeno almoço, os trabalhos foram divididos e cada um deu o seu máximo, pensando que alguém em algum lugar do mundo estaria fazendo aquele mesmo trabalho (ou até mesmo pior) para conseguir sobreviver. No almoço comemos uma comida típica de lá, o famoso “Chiguinha”, que seria um prato típico Moçambicano com mandioca, amendoim e leite de coco, além de arroz e frango. Logo depois mais trabalho. E na hora dos banhos foi definido que cada um tomaria banho com a água de duas garrafas pet, demonstrando o que cada um deles passa todos os dias. Pela noite houve uma missa típica, para finalizar o nosso momento de comunhão.

*Sábado: No sábado, fizemos uma atividade de Evangelização no Centro de Belo Horizonte, onde um grupo preparou um teatro para levar uma mensagem do Amor de Deus para as pessoas e os jovens aproximavam das pessoas para conversar e evangelhizar. Pela noite o grupo foi dividido em grupos menores para participarmos nas missas das capelas mais carentes da paróquia. Foi um momento de ida, mas de também muita reflexão. Após as missas, o grupo se reuniu no galpão e ocorreram várias gincanas.

*Domingo: No último de Férias Missionárias, pela manhã, uma senhora da Sociedade São Vicente de Paulo (Luciana) compartilhou um pouco da sua experiência de encontro e de ajuda ao pobre. Passou-nos uma mensagem muito forte do amor que os pobres podem nos proporcionar e disse que não se arrepende nem um pouco de realizar esses serviços. Após esse momento alguns participantes disseram sua experiência, como foi participar das férias, e num último instante ocorreu a missa para abençoar cada irmão que necessita, para agradecer esses dias de serviço e comunhão e para finalizar com chave de ouro as Férias Missionárias 2016.

TESTEMUNHO DA JOVEM ANA CLARA SOBRE AS FÉRIAS MISSIONÁRIAS:

1- O que você achou das férias missionárias?

    “Achei muito boa, uma experiência ótima que estava com saudade de viver. ”

2- O que mais te tocou nas férias missionárias?

    “O que mais me tocou foi o dia moçambicano, poder experimentar uma comunhão tão profunda com um povo distante, gostei muito de ver as alegrias e sofrimentos do povo e sua riqueza. ”

3- Que lição você leva depois dessas férias missionárias?

    “Levar sempre os pobres no meu coração, sempre olhar para os outros ao meu redor. Escolher amar a cada dia e mais radicalmente. ”

Para visualizar mais fotos da experiência clique aqui: Fotos

 

Notícias
Belo Horizonte
Veja as fotos das Férias Missionárias da CMV BH!01 Agosto 2016

Nos dias 23 e 24 de Julho, no bairro Piratininga em Belo Horizonte, os missionários da CMV organizaram o curso "Seguir Jesus", que tem o objetivo de ajudar os jovens a serem verdadeiros discípulos de Jesus.

Foi relizado no bairro Piratininga, em Belo Horizonte o curso para jovens "Seguir Jesus", organizado pela Comunidade Missionária de Villaregia, na paróquia de São Geraldo. Foram dois dias em que 30 jovens da Pastoral da Juventude viveram uma experiência de renovação da fé através de uma encontro dinâmico e participativo, que tem o objetivo de ajudar os jovens a um novo impulso no seguimento de Jesus e a segui-Lo com mais profundidade. 

“Este encontro fez renascer dentro de mim um fogo que estava em meio a cinzas - comentou um dos jovens que participaram do encontro - e de me lembrar que sou filho de Deus. Aprendi que tem um outro que precisa de mim.”

Marilda Soares, missionária da CMV, conduziu o encontro juntamente com vários membros agregados. Um outro jovem assim se expressou sobre o encontro:

“Me sinto mais confiante com um olhar diferente para a vida. O coração está deslumbrado de alegria por mais uma oportunidade que Jesus me dá para conhecer o que realmente preciso fazer para segui-lo verdadeiramente de corpo e alma.”

“Estou muito agradecida pelos momentos de paz em meu coração. Concluí neste curso que o que falta em minha vida é seguir Jesus. Obrigado à comunidade por me proporcionar tamanha alegria” - expressou outra jovem.

Se interessou em organizar em sua paróquia um encontro de evangelização?  Contate-nos.

Notícias
Belo Horizonte
Ionete Bandeira, missionária consagrada no mundo da nossa comunidade de Belo Horizonte partilha a alegria de levar o carisma de comunhão e missão na sua paróquia, no Vale do Jequitinhonha. Publicamos a seguir a sua experiência:
 
"Gostaria de partilhar um pouco da experiência que vivo como Consagrada no Mundo inserida em minha paróquia. Sinto-me privilegiada por Deus ter me escolhido para ser sua serva na minha linda família CMV, esse carisma que está em mim e que levo onde estou e vou. 
 
Aqui eu acompanho uma comunidade urbana chamada São Francisco. Procuro ajudar a resolver o que é preciso. Animo e dou orientações, formação para que assumam bem a caminhada da comunidade e algumas vezes celebro a Palavra levando a eles a Eucaristia. Antes ia com mais frequência, mas agora menos, pois já temos alguns ministros. Meu trabalho é mais acompanhar, estar mais junto, nos grupos de reflexão nas terças e em um momento de oração nas quartas-feiras.
 
Outra experiência bonita que faço é com a catequese de adultos em uma comunidade rural uma vez por mês. Lá tenho a função de preparar os que vão comigo e eles mesmos assumem a catequese. Dou somente o suporte e celebro a Palavra com a Eucaristia.
 
Uma experiência que ultimamente está me marcando muito é a celebração da Palavra, levando a Eucaristia, quando o nosso padre precisa viajar de forma imprevista. Uma felicidade invade meu coração por poder me doar, servir naquele momento especial de tamanha responsabilidade, pois o povo espera o sacerdote. Assim tento dar o melhor de mim, doando todas as minhas forças para que o povo sinta a mesma alegria por estar com Jesus, de alimentar-se Dele, na Palavra e na Eucaristia, para que os corações possam sair dessa celebração saciados de Deus. E vejo como é bonita a ação de Deus nesses momentos pois há uma acolhida tão fraterna. Nos rostos, vejo a alegria de viver aquele momento e uma gratidão por estarmos ali, por não deixá-los sozinhos.
 
E vendo tudo isso, agradeço a Jesus porque, mesmo no meu nada, na minha pequenez, Ele me escolheu para ser um instrumento, um canal, um frasco de perfume a exalar o perfume Dele. São muitas as graças que recebo por todas essas expexperiências. Cresço muito na fé, na fraternidade, na amizade, na vida de consagraçao e de familia, pois sei que não estou só, que cada membro da CMV, está comigo, pois somos um para que o mundo creia. Louvado seja Jesus para sempre.
 
E sem esquecer de Maria, minha Mãe e companheira de caminhada, é bonito vê-la na vida do povo, nos testemunhos, na caminhada de luta do nosso povo. Vejo em tudo a misericórdia de Deus. Nunca imaginei que pudesse viver tudo isso na minha própria terra, mas em tudo é Jesus que faz como quer, nos envia onde quer e sua vontade e suas maravilhas manifestam onde Ele está.
 
Tenho outras experiências bonitas como o acompanhamento a CEBS, repasse de cursos, Semanas Santas em outras paróquias da diocese, ajuda em encontros... É muita bondade de Deus que não caberia se fosse escrever tudo aqui.
 
Obrigada Jesus, obrigada família CMV que amo muito".
 
Ionete.
Notícias
Belo Horizonte

Aconteceu no dia 3 de julho, em Ravena, distrito de Sabará, cidade vizinha de Belo Horizonte, o retiro Emaus em que participaram 116 pessoas.

Esta experiência foi possível garças à acolhida de Pe. Deuslando, pároco de Ravena. De Belo Horizonte participou uma equipe de voluntários da CMV que doaram suas forças para este encontro de evangelização com muita alegria, profundidade e espírito de serviço. A seguir, a partilha de alguns sentimentos de quem participou: 

"Foi uma experiência única, a mais importante da minha vida. Estou me sentindo mais leve, com mais fé, e espero ter outras oportunidades para vivenciar experiências como essa".

"Não tenho palavras pra traduzir o que senti.Vou sair daqui com uma paz interior e um coração mais aberto..."

"Eu estava precisando deste retiro. Me sinto mais renovada e forte na fé".

Obrigado a Deus e a todas as pessoas que participaram deste momento de graça.

Notícias
Belo Horizonte
" />

Maria Auxiliadora Lima, missionária no mundo da nossa comunidade de Belo Horizonte, nos enviou notícias da sua experiência na comunidade de Maputo em Moçambique, onde está vivendo um ano de doação ao serviço missionário.

O ENCONTRO COM AS MINHAS RAÍZES

《Sinto que a missão aqui em Moçambique está sendo um grande presente que Deus preparou para mim. Ao chegar aqui, logo me identifiquei com as minhas raízes, de um povo acolhedor e feliz mesmo trazendo consigo escondido atrás do olhar uma história de grande sofrimento que passaram pela guerra. Hoje o país ainda sofre pela guerra civil, mas as pessoas com os quais me encontro nunca perdem suas esperanças buscando forças numa única frase, dizendo: "tudo um dia, irmã, há de melhorar!" Esta esperança me dá forças para me jogar nesta experiência, sem reservas de amor》.

O SERVIÇO NA ESCOLA DE ALFABETIZAÇÃO

《Neste tempo estou trabalhando com a alfabetização de crianças e adultos. Na medida em que cada um vai se desenvolvendo na leitura e escritura, vejo a alegria e a satisfação de ter aprendido. Hoje uma "mamana" aluna se aproximou de mim e disse: "senhora professora, eu nem sei como te agradecer pois quando cheguei aqui eu não sabia nada e com a ajuda da senhora agora já sei ler e escrever, estou muito agradecida por isso". Eu disse a ela: "então agradeça a Deus porque foi Ele quem me permitiu de estar aqui com você".

Sinto no coração uma grande alegria de poder estar contribuindo com o projeto de Deus"》.

Maria Auxiliadora Lima

 

 

Notícias
Belo Horizonte

No 6º Encontro com a Misericórdia receberemos uma convidada bastante especial e conhecida por suas inúmeras palestras, Dra. Filó, que abordou o Tema “Não faleis mal uns dos outros”
No dia 08 de agosto, no 6º Encontro da Misericórdia, tivemos a alegria de escutar as palavras da Dra. Filomena Camilo do Vale, conhecida como Dra. Filó. Ela é médica pediatra cuja formação espiritual tem forte vínculo com a família e que é bastante conhecida pelas inúmeras palestras que realiza. O tema por ela abordado foi “Não faleis mal uns dos outros” que é um dos temas da caminhada dos Encontros da Misericórdia, que a Paróquia de São Sebastião está promovendo seguindo os passos da Bula do Papa Francisco para o Ano da Misericórdia. Os salões da Igreja de São Sebastião ficaram repletos de pessoas que ali estavam para escutar a sua palestra. 

Não podemos ser bons cristãos de maus costumes
Ela iniciou sua palestra lendo um trecho do Evangelho de Mateus onde Jesus diz: “Não julgueis e não sereis julgados” e também da primeira carta de João onde diz que quem fala mal do irmão é um homicida. A partir destas citações ela nos lembrou que somos irmãos e que não temos o direito de julgar o outro, de falar mal do outro. “É meu irmão. Onde está o direito de pensar que sou melhor que o outro. Quem disse que você é o juiz do outro. Só Deus julga”, disse. “A língua nos foi dada com o somente para louvar o Senhor. E o coração somente para amá-lo. Temos que refletir se nossa língua tem promovido ou matado alguém”, continuou a Dra. Filó.
Ela, a um certo momento, citou as palavras do próprio Papa Francisco que disse que “não podemos ser bons cristãos de maus costumes”. Então, continuou “temos que ser responsáveis uns pelos outros, rezar e fazer penitência pelo outro. Temos que pensar que todas as pessoas que nos são dadas são presentes de Deus, somos filhos do mesmo pai. Deus ama a todos da mesma forma”. 
Cuidado com os nossos padres
Em um dos momentos mais aplaudidos da palestra, Dra Filó comentou sobre o cuidado que temos que ter com os nossos padres. Citando a Santa Catarina de Siena, doutora da Igreja disse “Temos que cuidar de nossos padres. Jesus mesmo disse a Santa Catarina: Não fale mal de meus sacerdotes, não os julgue porque eles são meus. A comunidade precisa cuidar e rezar pelos seus sacerdotes. O sacerdote te dá o Jesus vivo e isto não tem preço”. 
No final ela nos convidou a nos purificar e olhar a bondade do outro. “O outro é um tesouro e enigma de Deus”, disse. “Em nossa comunidade não pode haver separação. Temos que ser um só corpo e uma só alma. Que o Espírito Santo conduza em nossa caminhada. O Amor é a marca do cristão”. 

Notícias
Belo Horizonte

A experiência das Férias Missionárias de 2016 foi vivida pelos jovens do Grupo Missionário no Centro Missionário da CMV de Belo Horizonte do dia 21 ao 24 de julho. A seguir a experiência escrita pelo jovem Daniel Magalhães:

As Férias Missionárias tiveram como tema o slogan “Santos de calça jeans”, que dá a ideia de que os jovens que participaram estavam fazendo tudo em amor ao próximo, sempre pensando no outro e doando seu esforço e tempo aos irmãos que mais precisam.

*Quinta-feira: No primeiro dia de Férias Missionárias foi trabalhado principalmente o tema das nossas férias: O pobre. Quem são os pobres e o que eles representam para nós. Foi chegado à conclusão que existem vários tipos de pobreza e que em todas falta ao indivíduo alguma coisa essencial que não o permita viver bem. Fomos ao encontro desse pobre nos dias de Missão, em especial à casa do Seu Crispim, um humilde morador da Vila Paraíso (dentro do território Paróquia São Sebastião). Sua casa era muito simples e também muito descuidada, o que deu bastante trabalho aos jovens do Gim. Porém, essa experiência de ir ao encontro do outro, levando o amor de Deus foi de grande importância na fixação do tema e foi também um grande passo na caminhada de cada um. Ao final do dia, o missionário Adriano, que estava em missão no Peru, contou-nos um pouco dessa experiência e de como foi estar junto do pobre fora do seu país.

*Sexta-feira: Na sexta fomos convidados a viver um dia de comunhão com os irmãos moçambicanos, onde todas nossas ações e nossos sacrifícios eram feitos por eles. Nesse dia não houve café da manhã, pois em Moçambique há uma espécie de pequeno almoço, realizado por volta das 9 horas da manhã. Logo depois do pequeno almoço, os trabalhos foram divididos e cada um deu o seu máximo, pensando que alguém em algum lugar do mundo estaria fazendo aquele mesmo trabalho (ou até mesmo pior) para conseguir sobreviver. No almoço comemos uma comida típica de lá, o famoso “Chiguinha”, que seria um prato típico Moçambicano com mandioca, amendoim e leite de coco, além de arroz e frango. Logo depois mais trabalho. E na hora dos banhos foi definido que cada um tomaria banho com a água de duas garrafas pet, demonstrando o que cada um deles passa todos os dias. Pela noite houve uma missa típica, para finalizar o nosso momento de comunhão.

*Sábado: No sábado, fizemos uma atividade de Evangelização no Centro de Belo Horizonte, onde um grupo preparou um teatro para levar uma mensagem do Amor de Deus para as pessoas e os jovens aproximavam das pessoas para conversar e evangelhizar. Pela noite o grupo foi dividido em grupos menores para participarmos nas missas das capelas mais carentes da paróquia. Foi um momento de ida, mas de também muita reflexão. Após as missas, o grupo se reuniu no galpão e ocorreram várias gincanas.

*Domingo: No último de Férias Missionárias, pela manhã, uma senhora da Sociedade São Vicente de Paulo (Luciana) compartilhou um pouco da sua experiência de encontro e de ajuda ao pobre. Passou-nos uma mensagem muito forte do amor que os pobres podem nos proporcionar e disse que não se arrepende nem um pouco de realizar esses serviços. Após esse momento alguns participantes disseram sua experiência, como foi participar das férias, e num último instante ocorreu a missa para abençoar cada irmão que necessita, para agradecer esses dias de serviço e comunhão e para finalizar com chave de ouro as Férias Missionárias 2016.

TESTEMUNHO DA JOVEM ANA CLARA SOBRE AS FÉRIAS MISSIONÁRIAS:

1- O que você achou das férias missionárias?

    “Achei muito boa, uma experiência ótima que estava com saudade de viver. ”

2- O que mais te tocou nas férias missionárias?

    “O que mais me tocou foi o dia moçambicano, poder experimentar uma comunhão tão profunda com um povo distante, gostei muito de ver as alegrias e sofrimentos do povo e sua riqueza. ”

3- Que lição você leva depois dessas férias missionárias?

    “Levar sempre os pobres no meu coração, sempre olhar para os outros ao meu redor. Escolher amar a cada dia e mais radicalmente. ”

Para visualizar mais fotos da experiência clique aqui: Fotos

 

Notícias
Belo Horizonte
Veja as fotos das Férias Missionárias da CMV BH!01 Agosto 2016

Nos dias 23 e 24 de Julho, no bairro Piratininga em Belo Horizonte, os missionários da CMV organizaram o curso "Seguir Jesus", que tem o objetivo de ajudar os jovens a serem verdadeiros discípulos de Jesus.

Foi relizado no bairro Piratininga, em Belo Horizonte o curso para jovens "Seguir Jesus", organizado pela Comunidade Missionária de Villaregia, na paróquia de São Geraldo. Foram dois dias em que 30 jovens da Pastoral da Juventude viveram uma experiência de renovação da fé através de uma encontro dinâmico e participativo, que tem o objetivo de ajudar os jovens a um novo impulso no seguimento de Jesus e a segui-Lo com mais profundidade. 

“Este encontro fez renascer dentro de mim um fogo que estava em meio a cinzas - comentou um dos jovens que participaram do encontro - e de me lembrar que sou filho de Deus. Aprendi que tem um outro que precisa de mim.”

Marilda Soares, missionária da CMV, conduziu o encontro juntamente com vários membros agregados. Um outro jovem assim se expressou sobre o encontro:

“Me sinto mais confiante com um olhar diferente para a vida. O coração está deslumbrado de alegria por mais uma oportunidade que Jesus me dá para conhecer o que realmente preciso fazer para segui-lo verdadeiramente de corpo e alma.”

“Estou muito agradecida pelos momentos de paz em meu coração. Concluí neste curso que o que falta em minha vida é seguir Jesus. Obrigado à comunidade por me proporcionar tamanha alegria” - expressou outra jovem.

Se interessou em organizar em sua paróquia um encontro de evangelização?  Contate-nos.

Notícias
Belo Horizonte
Ionete Bandeira, missionária consagrada no mundo da nossa comunidade de Belo Horizonte partilha a alegria de levar o carisma de comunhão e missão na sua paróquia, no Vale do Jequitinhonha. Publicamos a seguir a sua experiência:
 
"Gostaria de partilhar um pouco da experiência que vivo como Consagrada no Mundo inserida em minha paróquia. Sinto-me privilegiada por Deus ter me escolhido para ser sua serva na minha linda família CMV, esse carisma que está em mim e que levo onde estou e vou. 
 
Aqui eu acompanho uma comunidade urbana chamada São Francisco. Procuro ajudar a resolver o que é preciso. Animo e dou orientações, formação para que assumam bem a caminhada da comunidade e algumas vezes celebro a Palavra levando a eles a Eucaristia. Antes ia com mais frequência, mas agora menos, pois já temos alguns ministros. Meu trabalho é mais acompanhar, estar mais junto, nos grupos de reflexão nas terças e em um momento de oração nas quartas-feiras.
 
Outra experiência bonita que faço é com a catequese de adultos em uma comunidade rural uma vez por mês. Lá tenho a função de preparar os que vão comigo e eles mesmos assumem a catequese. Dou somente o suporte e celebro a Palavra com a Eucaristia.
 
Uma experiência que ultimamente está me marcando muito é a celebração da Palavra, levando a Eucaristia, quando o nosso padre precisa viajar de forma imprevista. Uma felicidade invade meu coração por poder me doar, servir naquele momento especial de tamanha responsabilidade, pois o povo espera o sacerdote. Assim tento dar o melhor de mim, doando todas as minhas forças para que o povo sinta a mesma alegria por estar com Jesus, de alimentar-se Dele, na Palavra e na Eucaristia, para que os corações possam sair dessa celebração saciados de Deus. E vejo como é bonita a ação de Deus nesses momentos pois há uma acolhida tão fraterna. Nos rostos, vejo a alegria de viver aquele momento e uma gratidão por estarmos ali, por não deixá-los sozinhos.
 
E vendo tudo isso, agradeço a Jesus porque, mesmo no meu nada, na minha pequenez, Ele me escolheu para ser um instrumento, um canal, um frasco de perfume a exalar o perfume Dele. São muitas as graças que recebo por todas essas expexperiências. Cresço muito na fé, na fraternidade, na amizade, na vida de consagraçao e de familia, pois sei que não estou só, que cada membro da CMV, está comigo, pois somos um para que o mundo creia. Louvado seja Jesus para sempre.
 
E sem esquecer de Maria, minha Mãe e companheira de caminhada, é bonito vê-la na vida do povo, nos testemunhos, na caminhada de luta do nosso povo. Vejo em tudo a misericórdia de Deus. Nunca imaginei que pudesse viver tudo isso na minha própria terra, mas em tudo é Jesus que faz como quer, nos envia onde quer e sua vontade e suas maravilhas manifestam onde Ele está.
 
Tenho outras experiências bonitas como o acompanhamento a CEBS, repasse de cursos, Semanas Santas em outras paróquias da diocese, ajuda em encontros... É muita bondade de Deus que não caberia se fosse escrever tudo aqui.
 
Obrigada Jesus, obrigada família CMV que amo muito".
 
Ionete.
Notícias
Belo Horizonte

Aconteceu no dia 3 de julho, em Ravena, distrito de Sabará, cidade vizinha de Belo Horizonte, o retiro Emaus em que participaram 116 pessoas.

Esta experiência foi possível garças à acolhida de Pe. Deuslando, pároco de Ravena. De Belo Horizonte participou uma equipe de voluntários da CMV que doaram suas forças para este encontro de evangelização com muita alegria, profundidade e espírito de serviço. A seguir, a partilha de alguns sentimentos de quem participou: 

"Foi uma experiência única, a mais importante da minha vida. Estou me sentindo mais leve, com mais fé, e espero ter outras oportunidades para vivenciar experiências como essa".

"Não tenho palavras pra traduzir o que senti.Vou sair daqui com uma paz interior e um coração mais aberto..."

"Eu estava precisando deste retiro. Me sinto mais renovada e forte na fé".

Obrigado a Deus e a todas as pessoas que participaram deste momento de graça.

Notícias
Belo Horizonte
">