Sobre a Hora do Planeta 2015

Hora do Planeta é o maior ato global contra as mudanças climáticas. Em 2014, sete mil cidades (em 162 países) pagaram suas luzes durante sessenta minutos, entre 20h30 e 21h30 (horário local).

Mas como desligar as luzes pode fazer alguma diferença? A Hora do Planeta ficou famosa por iniciar um evento de desligamento de luzes em Sydney, em 2007. Com o tempo, tem crescido para ações de crowdsource e crowdfund de indivíduos, empresas, organizações e governos, para gerar resultados ambientais – desde efetuar mudanças políticas por meio de petições até captação de recursos para os projetos de conservação e clima do WWF ao redor do mundo. Apagar as luzes é um gesto simbólico, mas pode ser também o primeiro passo para uma séria de medidas em prol de um futuro mais sustentável para a vida na Terra.

Considere que Galápagos recentemente tornou-se a primeira província do Equador a proibir todo o plástico. Ou que milhares de famílias em Madagascar agora estão usando fogões que economizam madeira. Ou ainda que o WWF-China está, por meio de crowdsourcing, encontrando milhares de soluções para a poluição do ar. Tudo isso é graças à Hora do Planeta. E essas são apenas algumas das mudanças que o movimento ajudou a realizar. Em 2015, vamos usar o poder da multidão para combater as mudanças climáticas promovendo ações e iniciativas sobre temas críticos – como a sustentabilidade da agricultura, a educação sobre o clima, projetos de conservação, energias renováveis e legislação favorável ao clima. No Brasil, a Hora do Planeta 2015 terá seu foco nas crises hídrica e energética.

As mudanças climáticas são uma questão difícil, mas é possível enfrentá-la se cada pessoa, organização e país decidir tomar medidas para fazer a diferença. O que faz a Hora do Planeta única é o seu apelo popular, que capacita as pessoas a agirem em questões localmente relevantes, para gerar um impacto global maior.