Desfilam nesta sexta (24) as tribos e as escolas da Série Prata.Ingressos variam de R$ 10 a R$ 20; Série Ouro desfila no sábado (25).Confira a Mensagem do Dia de Lucas Ribeiro para este fim de semana com "Hora do Planeta", de 24 a 26 de março!Mais um jogo da Seleção Brasileira rumo à Copa 2018 acontece no Estádio Centenário, em Montevidéu.
Recurso da escola de Padre Miguel tem 30 dias para ser julgado. Diretores afirmam que não pensam em recorrer à Justiça comum.Confira a Mensagem do Dia de Lucas Ribeiro para esta quinta, 23 de março!Desafio da hora: o quanto você sabe? O que estaria disposto a fazer?<br />© © Juan Carlos DEL OLMO / WWF-SpainPor Helena Mega
 
Nos preparativos para a décima Hora do Planeta, o WWF-Brasil lançou o Desafio da Hora como forma de envolver os participantes na iniciativa. O Desafio é formado por cinco perguntas de múltipla escolha e só é vencido quando o participante acerta todas as questões.
 
Depois de completar o "Quiz da Hora!" é possível saber, por exemplo, qual foi o ano mais quente da história e qual é o compromisso do Brasil com o Acordo de Paris, firmado em 2015 por 195 países com o objetivo de reduzir as emissões de gases do efeito estufa (GEE) na atmosfera.
 
O intuito do Desafio é tanto informar como alertar os internautas sobre os efeitos das mudanças climáticas no mundo, sendo o aquecimento global uma consequência expressiva desse fenômeno. Para participar, basta se inscrever no link.
 
Outra ação para a Hora do Planeta de 2017 é a campanha #HoraDaConfissão, em que os participantes devem se comprometer a mudar algum hábito ruim que possa prejudicar o meio ambiente.

Hora do Planeta
 
A Hora do Planeta acontece no mundo todo no dia 25 de março, entre 20h30 e 21h30 do horário local, e há diversas formas de fazer parte.

Para as cidades, a participação acontece por meio de um Termo de Adesão, que deve ser assinado por alguma autoridade local indicando quais monumentos e prédios públicos ficarão apagados durante os 60 minutos.

Escolas, instituições privadas e organizações também podem se engajar apagando as luzes e promovendo atividades e eventos. Em 2016, foi contabilizada a participação de 165 empresas, além de 39 escolas e organizações não governamentais.

A novidade para este ano é que o WWF-Brasil está buscando incentivar ainda mais a participação da sociedade. Para isto, disponibilizou no site da Hora do Planeta (horadoplaneta.org.br) um formulário para a inscrição de atividades e um material com dicas do que cada um pode fazer para participar mais intensamente da campanha.
 
Sobre o WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.A Hora do Planeta 2017 acontece em 25 de março e já conta com a participação de 78 cidades brasileiras, incluindo Brasília-DF; shows de artistas da cidade e passeio ciclístico acontecem no dia<br />© Divulgação/WWF-BrasilPelo décimo ano, a organização ambientalista WWF-Brasil promove a Hora do Planeta no país. O maior ato global organizado pela Rede WWF acontecerá no dia 25 de março e tem como objetivo chamar a atenção para as mudanças climáticas que estão ocorrendo no Planeta, exigindo solução urgente para a questão.
 
Até o momento, 78 cidades brasileiras já confirmaram participação neste ato voluntário e simbólico. Entre elas, Brasília, que irá apagar as luzes do Congresso Nacional, Museu da República e a Catedral por sessenta minutos, de 20h30 às 21h30.
 
A esplanada será palco para shows de artistas da cidade, que se uniram no projeto Brasilitmia, como Beto Dourah e a Banda Hakucados. Também faz parte da programação da Hora do Planeta, um passeio ciclístico onde os 100 primeiros a comparecerem para pedal ganharão camisetas. O ponto de encontro será o Museu da República, a partir das 19h30.
 
Neste ano, o evento faz parte das atividades do Mês das Águas, iniciativa em que a ONG é parceira do Ministério do Meio Ambiente, Agência Nacional da Água (ANA) e outras entidades com o objetivo de ampliar a conscientização sobre a água e a crise hídrica. (Confira a programação)
 
 "Mais do que um simples apagar de luzes, a Hora do Planeta é um convite para que as pessoas parem por cerca de uma hora e reflitam sobre as nossas ações em relação ao meio ambiente; o que temos feito e o que cada um pode fazer para diminuir o problema", comenta o diretor-executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic. Para ele, o movimento é uma demonstração globalizada de que o mundo quer ver em seus líderes a coragem para enfrentar e reverter os diferentes desafios ambientais, cujos impactos interferem na vida de toda a população.
 
Atualmente, o Brasil tem enfrentado sérios problemas relacionados às mudanças do clima, como a seca do Nordeste, a diminuição de produção de alimentos ou o racionamento de água em plena temporada de chuvas no Distrito Federal.
 
A preocupação para evitar o desperdício, o uso consciente de veículos individuais de transporte e a opção de comprar produtos locais e que não agridam o meio ambiente são alguns dos hábitos que Voivodic considera como importantes para a redução de danos ao meio ambiente. "As causas e os efeitos das mudanças climáticas estão inseridos na nossa vida. A resolução destas questões está muito relacionada à criação e ao cumprimento de políticas públicas. Porém, se cada um repensar seus hábitos de consumo, teremos uma grande melhoria na saúde do planeta", continua Voivodic.
 
Em 2016, 156 municípios aderiram oficialmente à campanha, desligando por uma hora a iluminação de 505 ícones, entre monumentos, espaços públicos e prédios históricos. Além de 178 países ao redor do mundo, que deixaram ícones no escuro, como a Torre Eiffel (Paris), o Big Ben (Londres) e as Pirâmides de Gizé (Egito). Para este ano, a expectativa é ainda maior, com o incentivo para que pessoas e empresas organizem suas próprias atividades no sábado, 25 de março.
 
Sobre a Hora do Planeta
 
A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. Desde sua primeira edição, em março de 2007, a Hora do Planeta não para de crescer. O que começou como evento isolado, em uma única cidade, Sidney, na Austrália, tornou-se uma ação global, envolvendo um bilhão de pessoas em mais de 7 mil cidades de 162 países e territórios. Alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais, entre elas, as pirâmides do Egito; a Torre Eiffel, em Paris; a Acrópole de Atenas e – até mesmo – a cidade de Las Vegas já ficaram no escuro durante sessenta minutos. No Brasil, a Hora do Planeta acontece oficialmente desde 2009. Promovido pelo WWF-Brasil, o movimento reúne cidades, empresas e pessoas em todas as regiões do país. " />
Desfilam nesta sexta (24) as tribos e as escolas da Série Prata.Ingressos variam de R$ 10 a R$ 20; Série Ouro desfila no sábado (25).Confira a Mensagem do Dia de Lucas Ribeiro para este fim de semana com "Hora do Planeta", de 24 a 26 de março!Mais um jogo da Seleção Brasileira rumo à Copa 2018 acontece no Estádio Centenário, em Montevidéu.
Recurso da escola de Padre Miguel tem 30 dias para ser julgado. Diretores afirmam que não pensam em recorrer à Justiça comum.Confira a Mensagem do Dia de Lucas Ribeiro para esta quinta, 23 de março!Desafio da hora: o quanto você sabe? O que estaria disposto a fazer?<br />© © Juan Carlos DEL OLMO / WWF-SpainPor Helena Mega
 
Nos preparativos para a décima Hora do Planeta, o WWF-Brasil lançou o Desafio da Hora como forma de envolver os participantes na iniciativa. O Desafio é formado por cinco perguntas de múltipla escolha e só é vencido quando o participante acerta todas as questões.
 
Depois de completar o "Quiz da Hora!" é possível saber, por exemplo, qual foi o ano mais quente da história e qual é o compromisso do Brasil com o Acordo de Paris, firmado em 2015 por 195 países com o objetivo de reduzir as emissões de gases do efeito estufa (GEE) na atmosfera.
 
O intuito do Desafio é tanto informar como alertar os internautas sobre os efeitos das mudanças climáticas no mundo, sendo o aquecimento global uma consequência expressiva desse fenômeno. Para participar, basta se inscrever no link.
 
Outra ação para a Hora do Planeta de 2017 é a campanha #HoraDaConfissão, em que os participantes devem se comprometer a mudar algum hábito ruim que possa prejudicar o meio ambiente.

Hora do Planeta
 
A Hora do Planeta acontece no mundo todo no dia 25 de março, entre 20h30 e 21h30 do horário local, e há diversas formas de fazer parte.

Para as cidades, a participação acontece por meio de um Termo de Adesão, que deve ser assinado por alguma autoridade local indicando quais monumentos e prédios públicos ficarão apagados durante os 60 minutos.

Escolas, instituições privadas e organizações também podem se engajar apagando as luzes e promovendo atividades e eventos. Em 2016, foi contabilizada a participação de 165 empresas, além de 39 escolas e organizações não governamentais.

A novidade para este ano é que o WWF-Brasil está buscando incentivar ainda mais a participação da sociedade. Para isto, disponibilizou no site da Hora do Planeta (horadoplaneta.org.br) um formulário para a inscrição de atividades e um material com dicas do que cada um pode fazer para participar mais intensamente da campanha.
 
Sobre o WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.A Hora do Planeta 2017 acontece em 25 de março e já conta com a participação de 78 cidades brasileiras, incluindo Brasília-DF; shows de artistas da cidade e passeio ciclístico acontecem no dia<br />© Divulgação/WWF-BrasilPelo décimo ano, a organização ambientalista WWF-Brasil promove a Hora do Planeta no país. O maior ato global organizado pela Rede WWF acontecerá no dia 25 de março e tem como objetivo chamar a atenção para as mudanças climáticas que estão ocorrendo no Planeta, exigindo solução urgente para a questão.
 
Até o momento, 78 cidades brasileiras já confirmaram participação neste ato voluntário e simbólico. Entre elas, Brasília, que irá apagar as luzes do Congresso Nacional, Museu da República e a Catedral por sessenta minutos, de 20h30 às 21h30.
 
A esplanada será palco para shows de artistas da cidade, que se uniram no projeto Brasilitmia, como Beto Dourah e a Banda Hakucados. Também faz parte da programação da Hora do Planeta, um passeio ciclístico onde os 100 primeiros a comparecerem para pedal ganharão camisetas. O ponto de encontro será o Museu da República, a partir das 19h30.
 
Neste ano, o evento faz parte das atividades do Mês das Águas, iniciativa em que a ONG é parceira do Ministério do Meio Ambiente, Agência Nacional da Água (ANA) e outras entidades com o objetivo de ampliar a conscientização sobre a água e a crise hídrica. (Confira a programação)
 
 "Mais do que um simples apagar de luzes, a Hora do Planeta é um convite para que as pessoas parem por cerca de uma hora e reflitam sobre as nossas ações em relação ao meio ambiente; o que temos feito e o que cada um pode fazer para diminuir o problema", comenta o diretor-executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic. Para ele, o movimento é uma demonstração globalizada de que o mundo quer ver em seus líderes a coragem para enfrentar e reverter os diferentes desafios ambientais, cujos impactos interferem na vida de toda a população.
 
Atualmente, o Brasil tem enfrentado sérios problemas relacionados às mudanças do clima, como a seca do Nordeste, a diminuição de produção de alimentos ou o racionamento de água em plena temporada de chuvas no Distrito Federal.
 
A preocupação para evitar o desperdício, o uso consciente de veículos individuais de transporte e a opção de comprar produtos locais e que não agridam o meio ambiente são alguns dos hábitos que Voivodic considera como importantes para a redução de danos ao meio ambiente. "As causas e os efeitos das mudanças climáticas estão inseridos na nossa vida. A resolução destas questões está muito relacionada à criação e ao cumprimento de políticas públicas. Porém, se cada um repensar seus hábitos de consumo, teremos uma grande melhoria na saúde do planeta", continua Voivodic.
 
Em 2016, 156 municípios aderiram oficialmente à campanha, desligando por uma hora a iluminação de 505 ícones, entre monumentos, espaços públicos e prédios históricos. Além de 178 países ao redor do mundo, que deixaram ícones no escuro, como a Torre Eiffel (Paris), o Big Ben (Londres) e as Pirâmides de Gizé (Egito). Para este ano, a expectativa é ainda maior, com o incentivo para que pessoas e empresas organizem suas próprias atividades no sábado, 25 de março.
 
Sobre a Hora do Planeta
 
A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. Desde sua primeira edição, em março de 2007, a Hora do Planeta não para de crescer. O que começou como evento isolado, em uma única cidade, Sidney, na Austrália, tornou-se uma ação global, envolvendo um bilhão de pessoas em mais de 7 mil cidades de 162 países e territórios. Alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais, entre elas, as pirâmides do Egito; a Torre Eiffel, em Paris; a Acrópole de Atenas e – até mesmo – a cidade de Las Vegas já ficaram no escuro durante sessenta minutos. No Brasil, a Hora do Planeta acontece oficialmente desde 2009. Promovido pelo WWF-Brasil, o movimento reúne cidades, empresas e pessoas em todas as regiões do país. ">